Pages Menu
Categories Menu
Projeto em escola mineira incentiva a alimentação saudável

Projeto em escola mineira incentiva a alimentação saudável

Qual é a quantidade de açúcar que existe em um pacote de biscoito recheado? Uma pergunta e muitos olhares curiosos durante a maratona “Eu curto e compartilho vida saudável”, projeto desenvolvido durante o ano de 2017 na Escola Municipal Newton Amaral Franco, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.

A Rede Brasileira Infância e Consumo, Rebrinc, participou do projeto com a nutricionista Núbia Antunes. Entre os dias 17 e 21 de outubro, professores, alunos e especialistas se uniram em uma grande maratona para debater cidadania, alimentação saudável, políticas públicas de saúde, consumo, práticas esportivas, meio ambiente, saúde, horta urbana, direitos do consumidor, dentre outros temas.

Sensibilização

Entidades de defesa do consumidor e pela alimentação saudável defendem mudanças nos rótulos dos alimentos. Ingredientes como açúcar e gordura aparecem nas embalagens de uma forma que confunde o consumidor. Diversos movimentos e organizações, dentre elas a Rede Brasileira Infância e Consumo, estão empenhados em mudar os rótulos para informar melhor a população. Saiba mais sobre a campanha “Por uma rotulagem nutricional adequada já!

Se para os adultos já é difícil reconhecer os alimentos pelos rótulos, para as crianças a tarefa se torna ainda mais desafiadora. “O fato de um produto indicar que não há gordura trans não quer dizer que, de fato, não tenha. Além disso, a tabela nutricional mostra a quantidade de gordura para uma porção de três biscoitos, por exemplo. Se a criança consome mais do que isso ou o pacote todo estará consumindo sem saber gordura em excesso”, explica Núbia Antunes, integrante da Rebrinc. Para sensibilizar os alunos quanto ao excesso de açúcar, sal e gordura em alimentos industrializados, a nutricionista realizou atividades lúdicas durante a maratona. Participaram das atividades estudantes de seis a doze anos e seus respectivos professores. “Realizamos uma dinâmica lúdica onde os participantes puderam aprender brincando e conheceram, na prática, o volume de açúcar, gordura e sal contidos nos alimentos industrializados por meio de uma exposição interativa”, explica.

Legumes desconhecidos

Outra atividade lúdica realizada desafiou os alunos a perceber com as mãos a forma e a textura de algumas frutas e legumes. “Fiz a atividade usando a brincadeira do tato. As crianças tiveram que adivinhar qual alimento tinha dentro da caixa apenas com o toque”, contou Núbia.

Para a nutricionista, ter participado do projeto “Eu curto e compartilho vida saudável” representando a Rebrinc foi uma experiência muito enriquecedora. “Durante as atividades percebi que é necessário mais projetos como este e mais educação nutricional nas escolas. Sabemos que muitas não têm este conteúdo na grade curricular. A escola também deve ensinar como se alimentar com qualidade relacionando o aprendizado à saúde de cada aluno”, aconselha.

Além de não saberem ler adequadamente os rótulos, as crianças também não reconheceram muitos dos vegetais na atividade proposta pela nutricionista. Se por um lado as crianças não sabem o nome de vegetais como berinjela ou chuchu, por outro elas sabiam os nomes dos alimentos industrializados, mesmo quando a embalagem tinha a marca escondida com uma fita adesiva. “Os alimentos naturais são pouco conhecidos enquanto os ultraprocessados são logo identificados. A conclusão desta experiência é que temos uma deficiência na educação alimentar, o que tem relação com a escola e as famílias, e temos também excesso de exposição a comerciais de alimentos embalados”, alerta a nutricionista Núbia Antunes.

Ao longo do ano foram realizadas diversas ações na Escola Municipal Newton Amaral Franco para motivar os alunos a buscar um estilo de vida mais saudável, dentre elas uma pesquisa sobre os hábitos de vida dos alunos e sobre alimentação. Para Sheila Rodrigues, colaboradora do projeto e bibliotecária da escola, as dinâmicas propostas pela nutricionista atingiram com excelência as necessidades do projeto e as demandas informacionais dos estudantes e da equipe escolar quanto a nutrição, saúde e alimentação saudável.

Se a sua escola também desenvolve um projeto sobre alimentação saudável ou combate ao consumismo, faça contato e conte sua experiência pelo email contato@rebrinc.com.br.

 

Nutricionista Núbia Antunes conversa com os alunos sobre alimentação saudável

Crianças desconhecem os nomes de muitos vegetais

Sheila Rodrigues, da Escola Municipal Newton Amaral Franco, a nutricionista Núbia Antunes e os alunos nas atividades lúdicas sobre alimentação saudável

Na maratona “Eu curto e compartilho vida saudável”, as crianças aprenderam quais são as quantidades de açúcar, sal e gordura recomendadas por dia e as quantidades existentes nos alimentos

Demonstração da quantidade de açúcar existente nas bebidas de caixinha

Núbia Antunes mostrou a quantidade de gordura existente em um pacote de salgadinho

A maratona reuniu palestras e atividades lúdicas sobre temas relacionados com saúde e alimentação saudável em Contagem, Minas Gerais

Fotos: Núbia Antunes e Divulgação Escola Municipal Newton Amaral Franco

Post a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *