Pages Menu
Categories Menu
Educadores indígenas participam de oficina sobre alimentação e saúde na Bahia

Educadores indígenas participam de oficina sobre alimentação e saúde na Bahia

 

Como anda a alimentação de crianças e adultos das comunidades indígenas do sul da Bahia? Para levantar reflexões sobre o tema, Cristhiane Ferreguett, professora da Universidade do Estado da Bahia, do campus em Teixeira de Freitas, realizou no dia 24 de julho uma oficina temática sobre alimentação e saúde para educadores indígenas.

“Estamos realizando oficinas temáticas para estimular a leitura e a produção de escrita, bem como discussões sobre questões que interessam às escolas e comunidades indígenas”, explica Cristhiane Ferreguett, coordenadora da área de Leitura e Produção de textos do Programa de Iniciação Docente PIBID Diversidade. A oficina é uma ação do Projeto PIBID Diversidade, uma iniciativa para o aperfeiçoamento e a valorização da formação de professores para a educação básica.

A convidada para ministrar a oficina Escolhas Alimentares e Saúde: pessoal, social e ambiental foi Maluh Barciotte, bióloga, mestre em biologia e doutora em Saúde Pública/Ambiental pela Universidade de São Paulo e pós doutorado sobre Escolhas Alimentares. Maluh também participou da elaboração do Guia Alimentar da População Brasileira 2014.

Maluh conta que eventos assim são uma oportunidade para tratar sobre comida de verdade, sobre o Novo Guia Alimentar da População Brasileira e questões como orgânicos e agroecológicos versus agrotóxicos e transgênicos com as comunidades indígenas. Ela ressalta a importância das culturas tradicionais e dos seus conhecimentos para nossas crianças e para a sociedade brasileira. “Espero que seja o início de uma parceria de trocas de conversa e de experiências na direção da implementação de melhorias das escolhas alimentares e do ambiente de alimentação para as comunidades indígenas e para a população brasileira, urbana e rural em geral”, explica. Seja para os indígenas ou não, ela alerta sobre o risco com relação ao excesso de consumo de ultra processados assim como dos venenos (agrotóxicos) e transgênicos para a saúde pública e bem estar da população.

A atividade foi realizada para a comunidade escolar do Colégio Indígena Tupinambá de Sapucaieira e do Colégio Indígena Tupinambá de Acuípe de Baixo, ambos em Olivença, sul da Bahia. O objetivo do evento é desenvolver, de forma interativa, novos conceitos sobre saúde integral, bem estar e autonomia das escolhas, fornecendo aos participantes conteúdos e experiências que facilitem o envolvimento e a participação na resolução de questões cotidianas. Outro ponto a ser trabalhado é a importância das tradições, valores e especificidades das comunidades indígenas da região.

Maluh Barciotte e Cristhiane Ferreguett são integrantes da Rede Brasileira Infância e Consumo, Rebrinc, e esperam que a oportunidade divulgue os novos conceitos envolvendo alimentação, o sistema alimentar e a saúde integral e ambiental para melhoria da qualidade de vida nas comunidades indígenas, com reflexos sobre o consumo e a saúde das crianças indígenas.

 

Veja como aqui foi a oficina.

 

Foto: Maluh Barciotte trabalha com alimentação e sustentabilidade há mais de 25 anos

Maluh Barciotte trabalha com alimentação e sustentabilidade há mais de 25 anos

 

Cristhiane Ferreguett coordena oficinas em escolas indígenas de Olivença, uma ação do Projeto “Leitura e escrita: compromissos de todas as áreas” do Pibid Diversidade

Cristhiane Ferreguett coordena oficinas em escolas indígenas de Olivença, uma ação do Projeto “Leitura e escrita: compromissos de todas as áreas” do Pibid Diversidade

  Acesse aqui a página Vivência Maluh Barciotte que busca “o encantamento do olhar para ampliação das escolhas e práticas ligadas à saúde, alimentação, ética e sustentabilidade, em territórios próximos ou distantes.”   Leia também: Educadores indígenas refletem sobre a criança e o consumo

Publicado em 23/07/2015 – Jornalista: Desirée Ruas – Rebrinc

Post a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *